(51) 30194545 .(51) 3226-2225

          (51) 30192225     

 (51) 999816995

 

 

          (51) 30194545 .(51) 3226-2225

          (51) 30192225     

 (51) 999816995

 

 

Artigos

Dá para aplaudir estes ídolos da bola?

O ser humano precisa de líderes e ídolos, pessoas com as quais possamos nos identificar e que estejam em um papel de destaque, um  papel que gostaríamos de ocupar. Neste momento o mundo está carente destas pessoas. Na vida política, muitos de nossos líderes nos enganam, tapeiam, mentem e ”não estão nem aí para nós”.

As pessoas se dividem em dois grupos, as que pensam e as que não pensam. Quando os políticos falam e tentam explicar o inexplicável, obviamente imaginam que suas palavras  são dogmáticas e não serão contestadas. É evidente que o grupo que pensa sente-se injuriado e desqualificado com a falta de cuidado destes "enganadores de plantão".

Estamos vivenciando em nosso país a Copa do Mundo. Os políticos tentam mostrar de todas as maneiras que a Copa será um bom negócio para a população, como se  não soubéssemos discernir o que estamos observando. Na Copa buscamos admirar os nossos ídolos da bola, mas nem no futebol temos jogadores para curtir. Vamos lá: o Neymar mostrou junto com seu pai como se faz uma negociata, embolsando uma grana por fora quando foi vendido ao Barcelona, fugindo de pagar os impostos devidos. Uma bela jogada ilícita. No jogo com a Croácia, Fred  fez uma encenação para ganhar um pênalti, e levou. Outra falcatrua. No final do jogo o Felipão disse ter assistido 10 vezes ao lance e afirma que foi pênalti. Outra enganação. A CBF botou o Fred a dar entrevista dizendo que foi puxado. Todo  mundo viu o jogo e sabe que não foi pênalti, mas o treinador e o jogador preferem defender a ideia  de que "uma mentira contada muitas vezes, vira verdade”. Teria alguma diferença entre estas falcatruas de nossos ídolos do futebol em relação àquelas que assistimos diariamente no meio político? Vocês acham que dá para curtir, aplaudir e vibrar com estes nossos “ídolos” da bola? Tenho a impressão de que a safadeza, a sacanagem e a tapeação viraram uma epidemia, como se valesse a pena aderir à elas. Penso que isto tem deixado parte da população abatida, irritada e descrente, o que poderia explicar a pouca satisfação com a vitória da seleção na estréia e menos ainda com a Copa no Brasil. Por outro lado, não deixo de considerar que torcer pela seleção é algo intrínseco a nossa alma e que o êxito do time vai deixar grande parte da população com o coração mais preenchido.

Na verdade, o descontentamento e a satisfação andam juntos como o amor e o ódio, e cada um vai acomodar dentro de si o que for melhor e mais agradável num determinado momento. Bem... São reflexões! O bom da vida é termos opiniões, podermos expô-las e também  mudarmos de ideia.

Finalizando, cito o filósofo contemporâneo Michael Sander: "Um dos motivos do descontentamento da população é o fato de que os discursos políticos estão cada vez mais vazios e sem propósitos morais. E as pessoas estão buscando um discurso político melhor,que se conecte aos seus anseios".
 

 

 

Envie seu comentário

Envie seu comentário e contribua com este artigo.

Voltar