Como melhorar a saúde mental das empresas!

Compartilhe

Este tema parece “Grego” nas organizações. Claro que se trata de uma provocação minha para chamar a atenção sobre o pouco que se oferece, do ponto de vista das percepções e conhecimentos a respeito do psicológico ou emocional nas relações de trabalho.

Atualmente há uma aparente preocupação a respeito da saúde mental dos indivíduos dentro das instituições que labutam. Disse “aparente”, pois acho que esta atenção é passageira e tem relação com a pandemia e o número alto de pessoas que adoeceram emocionalmente.

Evidente que a pandemia escancarou nossas fragilidades como ser humano. Houve muitas perdas. Mortes, perda de empregos, separações de casais, perda do poder aquisitivo, afastamento do contato com colegas de trabalho, e uma sensação de abandono e desamparo. Tudo isso levou ao grande aumento de doença mental.

Na medida que avança a vacinação e se retoma o trabalho presencial, abrem-se os pontos comerciais, morrem menos pessoas, a tendência do ser humano é esquecer e negar o que passou. Como se valesse esta música: “levanta sacode a poeira e dá a volta por cima”!

Infelizmente a saúde mental não é uma demanda natural, ou seja, as pessoas não percebem o quanto suas vidas são determinas pelo psicológico. Só olham para a mente quando ela está adoecida por depressão, ansiedade, fobias, pânico, transtorno bipolar, burnout etc.

Temos um outro fator que piora o que já está ruim! O preconceito do indivíduo e da sociedade em relação ao sofrimento e a presença de sinais relacionados com doença mental. A pessoa doente não se aceita nesta situação e também por temor tem dificuldade de falar com seus pares o que se passa com ela.

O desenvolvimento e a percepção sobre o funcionamento do aparelho psíquico deveria ser tema das escolas em todos os níveis. Deveríamos ensinar mais as crianças, jovens e os acadêmicos de nível superior, sobre a importância de ser ter alguma intimidade com nossa vida emocional ou psicológica. Sim, isso se pode ensinar, falando-se, trazendo experiências, ouvindo relato dos próprios estudantes sobre o que já presenciaram pela vida afora.

Se desejarmos oferecer saúde mental nas organizações o processo é o mesmo. Não só tratar os adoentados, mas trabalhar com prevenção, através do conhecimento sobre a mente humana e seus segredos/inconsciente.

Pode parecer ao leitor que estou simplificando demais as coisas! Que a mente humana é muito complexa, deixamos ela quietinha no seu canto e, se algum dia “entrar em parafuso”, nós daremos uma atenção a ela!

Acompanho muitos CEOs em psicoterapia individual, ou mesmo quando sou chamado para consultorias ou workshops nas empresas, percebo a pouca intimidade que os gestores têm com esta temática. Mais saúde mental significa mais bem-estar, maior satisfação e melhor desempenho no trabalho, trazendo também mais produtividade.

Psicobreve – Clínica de Psiquiatria e Psicoterapia tem 30 anos de existência e uma longa experiência no trato desta problemática. Estamos aparelhados para ajudar as pessoas já adoentadas através de tratamento psiquiátrico/psicoterapia. Outra “ferramenta” fundamental se dá através de seminários, palestras dentro das empresas com funcionários de todos os níveis e também com gestores e dirigentes.

Nelio Tombini
Psiquiatra – Psicoterapeuta – Psicoeducador


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciar conversa
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos ajudar?