A intolerância beira a doença mental

Compartilhe

Vivemos períodos marcados por extrema intolerância. Procuramos entender por que as pessoas agem assim. Neste momento estou aqui querendo compreender a mente destes sujeitos. Peço um pouco de tolerância com minhas ideias. Para começar, quero revelar que todos carregam algum grau de intolerância, de preconceito e intransigência.

Olhem para um bebê. Quando frustrado pela ausência do seio da mãe cai num berreiro. Cresce um pouco mais, se joga no chão, grita, bate, se não é atendido nos seus desejos. É um pequeno intolerante, um ditadorzinho, mas claro, adequado para seu tempo.

Como tentar explicar a intolerância. Algo genético, abusos na infância, maus tratos do dia a dia, reflexo da corrupção, transtornos de personalidade ou doenças mentais? Pode ser um pouco de cada. O intolerante busca se preencher mais através de situações externas, de projetos dos outros, do que dele mesmo. Tem pouca capacidade de gostar de quem é, e de sua própria vida. Carrega dentro de si vazios emocionais, fragilidades e inseguranças, desta forma não tolera os que pensam diferentemente dele. A contrariedade funciona como uma lupa que revela todo desamparo interior. Para que o outro não perceba toda sua vulnerabilidade e debilidade, o ataque é sua proteção.

Se acha mais do que os outros, mais inteligente e competente. Como tudo é “fake” no seu emocional, para suportar este sentimento de vazio usa de artimanhas inconscientes. Uma delas é o desejo de controle. É sua grande arma. Precisa fazer com que concordem com seus fundamentos. Não deixa de ser um fundamentalista. É movido por crenças. Suas ideias são inamovíveis. Se parece com os paranoicos, que se acham tão importantes e grandiosos, ao ponto de imaginarem que o mundo conspira contra eles.

Desta forma, para livrar-se dos perseguidores que constrói no seu imaginário, parte para a agressão. A matiz é a mesma, na intolerância política, clubística, religiosa ou sexual. A razão e a lógica não lhe tocam. Bem, se você se sente atingido por essas pessoas, ao ponto de querer demovê-las de suas crenças, fique atento que você também é um intolerante, disfarçado de paladino da verdade. A doença mental pode ter várias roupagens, a intolerância pode ser uma delas.

Nelio Tombini
Psiquiatra e Palestrante

* Artigo publicado no Jornal Zero Hora do dia 3/10/18


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciar conversa
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos ajudar?